Chevrolet Kadett: 30 anos de história

Cair no esquecimento é o “fim” de muitos carros, mas com certeza o Kadett não se inclui nessa categoria.

Lançado em 1989 no Brasil com um visual ousado e bem diferente dos carros da época, o Kadett rapidamente se tornou objeto de desejo de muitos brasileiros nos anos 90.

Assim como o Opala, o Kadett também fez história no nosso país ao longo dos anos e hoje ainda é muito procurado por seus amantes e entusiastas que carregam memórias construídas ao lado do carro.

A paixão pelo carro é tanta que aqui no Brasil existem até clubes dedicados ao carro, que são reconhecidos pela própria GM. Demais, não é?

Conheça agora a história desse carrão que completou 30 anos de lançamento no Brasil em 2019:

Origem

Apesar de ter chegado ao Brasil em 1925, até o ano de 1980 a GM só havia produzido três carros aqui no país: Monza, Chevette e uma jóia rara brasileira: o Opala.

Foi então que no mês de Abril do ano de 1989 o Kadett chegou em terras brasileiras – na versão de duas portas – para se diferenciar dos outros carros da Chevrolet e até mesmo dos seus concorrentes da época, que até então tinham um visual bem sério. Mais tarde, no mês de Outubro, a famosa Ipanema foi apresentada aos brasileiros, no primeiro momento na versão duas portas e depois na versão quatro portas.

Talvez você não saiba, mas essa máquina já transitava na Europa bem antes de vir para o Brasil, porém com a marca Opel, que era administrada pela Chevrolet.

Diferenciais do Kadett

Com um visual super esportivo que contava com vidros da tampa traseira e do para-brisa bem rentes à lataria do carro, basculantes na parte de trás, volante regulável, diversas luzes de advertência no painel e detalhes na lataria em plástico, o Kadett conquistava o coração dos brasileiros por onde passava.

E não parava por aí, o diferencial não estava presente só no visual: o Kadett contava com opções de motor a álcool e a gasolina, ar-condicionado, direção hidráulica, rádio com toca-fitas para curtir as músicas da época e até câmbio automático na versão com o motor a álcool.

Uma curiosidade: na época foram produzidos cerca de 1600 unidades também na versão conversível, portanto hoje em dia quem tem um exemplar desses, pode ser considerado como sortudo.

Motor

O Kadett foi lançado em três versões: GS (que tinha motor 2.0 de 110 cv), SL e SL/E (que tinham motor 1.8 de 95 cv).

Em 1991, a versão GSi foi apresentada ao mercado brasileiro, com a proposta de substituir a versão GS, e tinha um motor 2.0, 8v de 121 cv.

Mais tarde, no ano de 1995, a GM lançou as versões GL (com opções de motor 1.8 e 2.0), GLS (2.0) e Sport (2.0), que substituiria a versão GSi.

Fim da produção do Kadett

Em 1996, o Kadett na versão Ipanema deixou de ser produzido, e em 1998 a produção geral do carro chegou ao fim, para dar lugar ao seu sucessor: o Astra.

O Kadett vendeu mais de 400 mil unidades na época, sendo que mais de 60 mil dessas unidades eram da versão Ipanema.

É impossível dizer que o Kadett não foi um dos carros mais queridos e desejados no nosso país e que ainda continua sendo, já que muita gente ainda mantém esses exemplares em suas garagens e até mesmo “rodam” neles até hoje.

Você tem alguma memória que foi construída ao lado de um Kadett ou Ipanema, ou até mesmo tem um exemplar até hoje? Conta pra gente aqui nos comentários, adoraríamos saber 😃

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *