Monza: um ícone da década de 80

O Chevrolet Monza foi um verdadeiro marco na história automobilística por elevar os padrões de qualidade dos veículos na época. Conheça essa história.

O Monza foi, indiscutivelmente, um grande sucesso de vendas seguindo um conceito de carro mundial. No entanto, não foi chamado de Monza em todos os países, sendo chamado de “Ascona” na Europa e “Cavalier” nos Estados Unidos.

Você com certeza já andou de Monza. Se você não teve um, alguém próximo teve. Vamos relembrar a história desse clássico que revolucionou o mercado automobilístico brasileiro?

O Monza foi um projeto em escala mundial

O Monza foi o primeiro “carro global” lançado pela General Motors. Foi lançado há 36 anos, no começo da década de 80. Nessa época, a Chevrolet implantou a ideia de lançamento do seu projeto em escala mundial. Assim surgia o “Ascona” na Europa, veículo tradicional da GM na Europa. Pela possível associação a “asco” (nojo), a GM rejeitou o nome do carro europeu para o Brasil. O batismo italiano remete ao famoso circuito utilizado pela Fórmula 1.

Quando lançado, trazia um motor 1.6 que entregava apenas 73 cavalos de potência, e teve suas vendas um pouco fracas no começo. Porém, quando começou a ser fabricado com um motor 1.8 que entregava 86 cavalos de potência, disparou nas vendas e caiu no gosto popular.

“O estilo do Monza do clássico a esportividade.”

O Monza no início era vendido apenas com a carroceria hatch, duas portas e motor 1.6 a gasolina. Eram duas versões: a básica e a CL. De cara se tornou o desejo dos consumidores de classe média.

Confira o comercial que foi lançado na época:

O Monza também foi um sedan.

No ano de 1983, era lançado um novo tipo de motorização. Essa nova versão da carroceria sedan tinha opções de duas e quatro portas, sendo a versão de duas portas a mais vendida.

Na mesma época, uma concessionária de São Paulo, lançou o Monza Clodovil. Em parceria com o estilista, o Monza foi estilizado com uma nova pintura, bancos de couro com as iniciais do artista e um conjunto de malas desenhadas por ele.

Uma nova reestilização do Monza.

O Monza já estava bem firmado no mercado brasileiro e a GM percebeu que precisava lançar um esportivo a altura para competir com Passat TS e Gol GT.

Surgia em 1985, o modelo hatch na versão esportiva S/R que contava com:

– faróis de neblina

– aerofólio traseiro

– pintura preta na parte inferior do carro

– frisos e logotipos vermelhos

– câmbio com relações mais curtas

– novo motor 1.8 de 105 cv

Em 1989, Emerson Fittipaldi venceu as 500 milhas de Indianápolis, por isso ele foi homenageado pelo Monza 500 EF. Ganhou novas características do lado exterior e estreou uma novidade na época, a injeção eletrônica.

Os últimos anos do Monza no mercado.

Após um ano sem grandes mudanças, em 1996 foi produzido o último Monza, dando fim a uma saga de 15 anos de sucesso desse incrível carro fabricado pela Chevrolet.

O último Monza foi vendido na versão GLS de 4 portas com motor 2.0 e deixou de ser produzido para ser substituído pelo Vectra, que foi lançado em março de 1996.

Podemos afirmar que foi um carro que saiu de linha, mas marcou história, cativou muitos fãs e deixa saudades até os dias de hoje. Os carros da Chevrolet vêm fazendo história e a Rede Autus fica feliz em fazer parte disso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *